Jornal A Praça - O Jornal de Iguatu

Você está aqui: Arquivos Entrevistas Reno Feitosa Gondim - Presidente da Comissão Gestora UDI-URCA-Iguatu

Reno Feitosa Gondim - Presidente da Comissão Gestora UDI-URCA-Iguatu

E-mail

O professor do curso de Direito da URCA - Universidade Regional do Cariri, Reno Feitosa Gondim, a convite do secretário do Rotary Club de Iguatu, Mário da Silva Leal, participou da reunião ordinária do Rotary, na quarta-feira desta semana, para expor aos rotarianos e à sociedade a situação da URCA diante dos fatos relacionados com a gratuidade dos cursos e a regionalização das universidades estaduais (URCA, UECE, UVA). Sobre esses temas, o professor Reno Feitosa, também presidente da Comissão Gestora da Unidade Descentralizada da URCA em Iguatu, conversou com o jornal A Praça em entrevista nesta edição.

A Praça - Como se dará o processo de gratuidade da UDI/URCA em Iguatu?

Reno - A gratuidade dos cursos da UDI é uma promessa do governo do Estado, feita quando da campanha do governador e cujo processo foi deflagrado neste último mês.

Primeiro é necessário que seja feito um ajuste orçamentário nas contas da UDI, pois não será possível entregar ao governo a UDI com débitos pendentes e com alta inadimplência do corpo discente. A previsão de concretização do processo de gratuidade é para março de 2008, com aula inaugural dessa nova fase a ser lecionada pelo governador Cid Gomes.

A Praça - Quais serão os passos imediatos a serem seguidos para a concretização dessa gratuidade?

Reno - Ela demanda questões urgentes e essenciais como a necessidade de campus e concurso público para professores. O primeiro passo é a aquisição do campus. A URCA ainda não requereu nenhum prédio público desta cidade para este fim, nem o governo determinou qual será, de modo que não há, no presente momento, qualquer demanda relativa ao colégio Adauto Bezerra, ao contrário do que se especula na cidade.

A Praça - Hoje se fala num projeto de regionalização das universidades estaduais do Ceará (UECE, URCA e UVA). O senhor tem conhecimento de como será esse projeto?

Reno - Trata-se de um projeto do governo estadual que ainda se encontra na fase de discussão política. Ele pretende dividir o Estado em três regiões, de forma que cada universidade tenha efetivado a regionalização. A URCA ficará com a Região Sul do Ceará, as regiões do Sertão Central e Norte do Estado serão divididas pela UVA e UECE. É nesse projeto que se cogita a encampação da FECLI e de outros cursos na Região pela URCA. Contudo, em razão das especulações surgidas na região por conta da possível encampação da FECLI pela URCA, é necessário deixar claro que esse é um programa do governo estadual e não um pleito da URCA.

A Praça -  Esse projeto de encampação trará algum prejuízo para os professores ou funcionários da FECLI que pertencem aos quadros da UECE?

Reno - Não. Por encampação deve-se entender a passagem da administração dos cursos da FECLI que atualmente são geridos pela UECE para serem administrados pela URCA. Da mesma forma como aconteceu na criação da URCA, os professores e funcionários irão optar se pretendem passar a compor os quadros da URCA ou se preferem continuar a compor os quadros da UECE. Portanto, quem pretender continuar pertencendo à UECE e trabalhar no campus da FECLI, poderá fazê-lo sem qualquer prejuízo. A URCA foi criada em 1986 pela junção de vários cursos da UECE no Crato, e ainda hoje temos muitos professores da UECE que lecionam na URCA desde a sua criação.

A Praça - Esta encampação pode ser encarada como um primeiro passo para a criação da Universidade do Centro-Sul?

Reno - Como disse antes, a URCA foi criada a partir da junção de vários cursos de nível superior pertencentes a sindicatos, UECE, faculdade de filosofia da diocese, que se uniram para criar a universidade, que é infinitamente mais representativo. Uma possível junção dos cursos da URCA, UECE e UVA em Iguatu deverá ser encarada como um passo para a criação da Universidade Regional do Centro-Sul. Contudo esse caminho requer um grande esforço da sociedade iguatuense, pois é um projeto à longo prazo. Uma universidade requer uma administração complexa que demanda grande dotação orçamentária. Contudo, esse é um excelente momento para que a sociedade iguatuense reflita a respeito dessa possibilidade.

A Praça - Os corpos discente e docente da FECLI reclamam da falta de informações e esclarecimentos no eventual processo de encampação. Por que não houve até agora nenhum manifesto oficial da URCA neste sentido?

Reno - No presente momento, não podemos afirmar categoricamente que a URCA irá encampar a FECLI, nem que irá utilizar o prédio do colégio Adauto Bezerra. Tudo ainda se encontra em discussão governamental. Não há qualquer posicionamento oficial nesse sentido. Por esta razão ainda temos evitado pronunciamentos públicos. Entretanto, quando houver qualquer  posicionamento oficial do governo do Estado que envolva a URCA, não nos esquivaremos do debate franco e aberto. Mas, não cabe à URCA esclarecer à FECLI a sua atual ou futura situação. Esta demanda deve ser pleiteada perante a reitoria da UECE. neste cesso foi governo do estado, feita quando da campanha do governador edeflagranda

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar