Jornal A Praça - O Jornal de Iguatu

Você está aqui: Arquivos Entrevistas

[Entrevista] - Isidro Moraes de Siqueira - Superintendente do BNB

E-mail

O superintendente do Banco do Nordeste do Brasil, no Ceará, Isidro Moraes de Siqueira, está percorrendo todas as regiões do Estado em 24 eventos realizados pelo BNB, para prestar constas das ações da instituição em 2007, estabelecer novas estratégias de ampliação das linhas de crédito e financiamento para 2008, e estreitar relações com as entidades, instituições e outros parceiros, para os projetos de desenvolvimento de 2008. Ele concedeu entrevista exclusiva para esta edição do A Praça e falou sobre os eventos e como o BNB está trabalhando para alavancar ainda mais o desenvolvimento das regiões e do Estado, desenvolvendo ações integradas da geração de emprego e renda para as famílias, principalmente no atendimento aos produtores rurais, pequenos e micro-empresários.

Foto:J.Guedes
Isidro Moraes de Siqueira
A Praça - Que linguagem o senhor está falando com os parceiros do BNB nesses eventos que estão acontecendo em todo Estado do Ceará?

Isidro - Antes de qualquer coisa, quero dizer do orgulho e da satisfação, toda vez que me desloco até Iguatu, pelo carinho que tenho, com a sociedade e com o povo de Iguatu, principalmente os comerciantes e com os lojistas, e com os empreendedores de Iguatu, porque aqui, em mais de 37 anos de vida bancária, foi onde passei os meus melhores dias, de carreira bancária, quando fui gerente por três anos do Bradesco. Eu considero, faço questão de sempre dizer no início das minhas palavras, que foi a cidade melhor que eu já trabalhei, porque é uma cidade de empreendedores, de gente muito sincera e honesta que honra suas obrigações. Eu não podia deixar de enaltecer a importância da seriedade do povo desta fantástica cidade.

A Praça - Quais são os objetivos maiores desses eventos regionais realizados pelo BNB?

Isidro - Os eventos têm três objetivos principais: o primeiro deles é prestar contas, no caso aqui de Iguatu, para lideranças, instituições parceiras do BNB, prefeitos, presidentes de associações, sindicatos, CDL, associação comercial, Sebrae, prestar contas de tudo que o BNB vem fazendo nas gestões do presidente Roberto Smith e do presidente Lula, desde 2003 a 2007 nos últimos cinco anos, em nível estadual e em nível nacional. O segundo objetivo é mostrar aos parceiros quanto nós temos de recursos  para aplicar no Ceará neste ano. É o maior volume de recursos, que nós vamos ter  disponível para o Estado pelo FNE, desde o momento em que o Dr. Roberto Smith assumiu a presidência do banco e o presidente Lula assumiu a presidência da República. O terceiro objetivo e o que eu considero o mais importante deles é pedir as parcerias, para fortalecer as que já existem e ampliar para que os outros municípios que fazem parte da jurisdição de Iguatu possam ter pontos de apoio nas agências locais, com gente da própria cidade, em parceria com o prefeito, Sindicato, Ematerce, Sebrae, para instruir os processos dos pequenos projetos e evitar que a burocracia possa atrapalhar a vida dos pequenos  produtores. Se conseguirmos isso, se nossos parceiros nos ajudarem vamos encurtar o caminho do crédito e dar um salto significativo no desenvolvimento da região. Acho que a parceria é o remédio para vencer a burocracia e isso vamos ver acontecer porque temos uma grande equipe e muita boa vontade para atender os pleitos daqueles nossos parceiros.

A Praça - O BNB é uma instituição de crédito que tem se caracterizado mais como unidade de desenvolvimento, do que um Banco que visa ao lucro?

Isidro - Olha, se você fizer um comparativo do ano de 1988 para cá, quando o FNE foi criado, foram aplicados recursos da ordem de R$ 40 bilhões de reais pelo BNB. De 88 para cá são 20 anos, foram 40 bilhões aplicados. E desses R$ 40 bilhões, 50% que corresponde a R$ 20 bilhões foram aplicados somente nos últimos cinco anos, a partir do governo Lula. Desse montante nós aplicamos R$ 3 bilhões de reais somente com o FNE puro, para o Ceará, além das aplicações de R$ 700 milhões na Agricultura Familiar. Estamos trabalhando fortemente para ingressarmos na área comercial, para atender e complementar o lojista que pega o financiamento a longo prazo do BNB, com taxas competitivas, prazos competitivos, em relação aos outros bancos comerciais do Estado. Então, isso nos dá a certeza de que o BNB é um banco que não está voltado para o lucro e sim, para o desenvolvimento da região e do Estado, primando, sobretudo, pelo atendimento ao pequeno dando oportunidades de geração de emprego e renda para milhares de famílias.

A Praça - Qual é a importância do BNB para o desenvolvimento econômico de cada região, olhando também pelo lado social?

Isidro - O Banco do Nordeste hoje é considerado, não é só um banco de fomento e desenvolvimento, é um banco social do Nordeste. A comunidade nordestina, principalmente a partir do governo do presidente Lula e do presidente Roberto Smith, reconhece que sem o BNB não haveria desenvolvimento, a história do nordestino seria outra. Nós avaliamos isso como um salto gigantesco de desenvolvimento e geração e emprego, porque a abertura de acesso ao crédito adequado que é o FNE para implantar negócios de qualquer natureza em qualquer setor, foi uma abertura fantástica dessa gestão.

Avaliamos também como um grande salto em geração de emprego e melhoria da qualidade de vida, principalmente do ‘pequenininho’, agricultor e comerciante, aquele que estava lá no campo, sem poder nem passar na porta do Banco do Nordeste. Nós estamos cada vez mais fortalecidos, com as baterias recarregadas e colocamos como prioridades do Banco os pequenos e micro-empresários, pequeno produtor e o agricultor familiar, esses são os clientes preferenciais do Banco do Nordeste, que são eles que detém mais de 60% do dinheiro que o BNB aplicou até hoje. Mas não podemos esquecer também que o BNB tem muito dinheiro a juros baratos para o médio e grande produtor rural, média empresa e grandes empresas, agentes importantes no processo de desenvolvimento em que estamos inseridos.

A Praça - Quais são as metas que o BNB pretende alcançar neste ano de 2008, em relação ao volume de recursos aplicados distribuídos em suas linhas de crédito e financiamento?

Isidro - O Banco do Nordeste na gestão do Dr. Roberto Smith já investiu no Nordeste, cerca de 27 bilhões de reais, desse total 20 bilhões somente no FNE. O ano que nós mais conseguimos aplicar foi em 2007, com cerca de R$ 7 bilhões e 300 milhões de reais, desse montante mais de R$ 4 bilhões foram para o FNE. No ano de 2006, para nós também foi um ano de aplicação recorde do FNE, quando investimos R$ 4 bilhões e 588 milhões de reais. E nesse ano o nosso desafio é sair de R$ 4 bilhões e 246 milhões para uma cifra de R$ 6 bilhões e R$ 300 milhões de reais. E o presidente do Banco já nos informou que se esse volume não atender as demandas nós já temos a autorização de chegarmos a aplicação recorde neste ano de R$ 8 bilhões de reais. 2008 é o ano que o BNB tem mais dinheiro disponível do FNE para atender os projetos de quaisquer atividades do setor produtivo.

Comentários  

 
#2 joseneide 18-11-2010 21:54
sr.Isidro é neçessario o alvorá de funcionamento mesmo ja tendo o numerico de inscrição para a liberação do em emprestimo.
OBRIGADA.
Citar
 
 
#1 Antonio ricardo b. S 18-08-2010 13:56
quero saber Dr. pq o gerente do bnb de itapipoca ele ta colocando muito dificuldade para liberar os recursos.
Citar
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar