Jornal A Praça - O Jornal de Iguatu

Você está aqui: Notícias Cartas Epizootiologia do Calazar nos cães em Iguatu

Epizootiologia do Calazar nos cães em Iguatu

E-mail

Inicialmente quero dizer o que significa cientificamente a nomenclatura EPIZOOTIOLOGIA em contraposição ao termo comumente utilizado em saúde pública EPIDEMIOLOGIA. Epizootiologia geralmente é aplicado quando a doença aparece nos animais. Enquanto Epidemiologia quando a infecção é encontrada numa população em quantidade avultada.

Agora para iniciar a matéria propriamente dita em relação ao título epigrafado devo salientar que o Calazar encontra-se em toda América e aqui no Brasil 92% está no Nordeste. Esta infecção é ocasionada por um parasita (protozoário) do gênero Leishmania que no passado era tipicamente rural, hoje, devido às transformações ecológicas como desmatamento, falta de saneamento e aglomerações urbanas a doença se urbanizou. Formas clínicas: Leishmaniose Tegumentar Americana e a Leishmaniose Visceral que é o Calazar propriamente dito. Todavia, desejo acrescentar que os agentes infecciosos são: Leishmania donovani, Leishmania chagasi e a Leishmania braziliensis. Esta protozoose e/ou zooantroponose não é transmitida de um animal diretamente a outro animal nem tampouco de um animal no caso o cachorro ao homem e sim por intermédio de um inseto da ordem dos dípteros (duas azas) e nematócero, ou seja, de antenas longas. Este inseto é conhecido popularmente por cangalinha, palinha, etc., cujo nome científico é Lutzomya longipalpis. No crepúsculo da noite ele pica um animal doente e ao picar o homem transmite a infecção. Aliás, este vetor se encontra em locais onde abunda material orgânico como currais e estábulos. Animais susceptíveis raposas, gambás e cachorros. O vetor ou transmissor desta zoonose também chamado de Flebótomo ou do latim Phlebotomus.

Sintomas da Leishmaniose Tegumentar Americana são: feridas nas orelhas, focinho, patas e na pele de um modo geral que não raro se confunde com a Sarma sarcóptica ou a Sarcoptose. O diagnóstico diferencial é feito através de exame laboratorial. Um dos sintomas patognomônicos ou característicos são as degenerações nas unhas o que denominamos de Onicogrifose. A Leishmaniose Visceral ou o Calazar se conhece pelos seguintes sintomas e lesões: anorexia (falta de apetite), caquexia (emagrecimento acentuado), conjuntivite (inflamações nos olhos com lacrimejamento), problemas gastrintestinais como diarréia sanguinolenta, bem como lesões nos órgãos hematopoiéticos ou produtores de sangue como o fígado, baço e a medula óssea aparecendo anemia macrocítica com espleno-hepatomegalia (aumento do fígado e baço concomitantemente) evidenciando uma ascite ou inflamação na cavidade abdominal com hidropsia (água na barriga). Os cães doentes podem não apresentar sintomas que são os assintomáticos e os mais perigosos por serem portadores do protozoário ocasionando sério problema à saúde pública, entretanto á população. E de acordo com a Organização Mundial de Saúde estes animais têm que passarem sobre o crivo de um médico veterinário sanitarista para que sejam sacrificados no Centro de Controle de Zoonoses com cloreto de potássio na veia. Tratamento para o homem: existe uma substância quimioterápica denominada de Glucantime. A Fundação Nacional de Saúde faz a borrifação em locais onde foi evidenciado a presença do flebótomo para destruir a cadeia de transmissão do cão para o homem. Procure o médico veterinário do C.C.Z.I para coletar o sangue dos seus cães e levá-lo ao laboratório especializado para a identificação da doença.

Dr. João Francisco do Amaral Neto é Médico Veterinário Sanitarista do C.C.Z.I.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar