Jornal A Praça - O Jornal de Iguatu

Você está aqui: Notícias Cartas A Filosofia em nosso meio

A Filosofia em nosso meio

E-mail

A palavra “Filosofia”, como é de conhecimento geral significa “amigo da sabedoria”. O que poucos imaginam é que a Filosofia pode ser aplicada em nosso dia-a-dia sem que sejamos necessariamente especialistas no assunto.

Para iniciar é importante ter-se noção de como ela surgiu e quais eram os seus objetivos primordiais. Os primeiros registros têm origem no período da Antigüidade, na Grécia, através de estudos datados de aproximadamente mais de 500 anos antes de Cristo, feitos por filósofos como Xenófanes, Tales de Mileto, Heráclito e Demócrito, seguidos mais tarde pelos mais conhecidos Sócrates, Platão e Aristóteles.

Inicialmente os filósofos se dedicaram à tentativa de compreender o surgimento do Universo, contrapondo-se em muitos aspectos com a mitologia, que explicava todo o comportamento da natureza baseando-se na vontade dos deuses, isso desde as estações do ano até a formação da natureza de um modo geral. Nesse período, até mesmo os filósofos utilizavam Deus, ou ainda um ser espiritual superior como centro de tudo, mas de maneira distinta da mitologia.

A Filosofia vinha, portanto com a missão de instigar as pessoas a buscar os “porquês” e não trazer respostas prontas para as principais perguntas.

Com o passar do tempo, muitas dessas perguntas foram respondidas, ao passo que surgiram novas questões.

Séculos mais tarde, veio a Idade Média, que ainda trazia Deus como tema central, a Filosofia tratava nesse período de diferenciar o bem e o mal, nesse contexto surgiram pensadores como Santo Agostinho, o qual foi por muito tempo influenciado pela Filosofia Estóica, os estóicos contestavam uma divisão distinta entre bem e mal.

Logo, a Idade Média foi considerada uma divisória de águas na História, pois depois desta, nasce um período marcante de evolução científica, cultural e filosófica: o Renascimento, que mostrou uma nova visão de mundo, colocando agora o Ser Humano no centro do Universo, trazendo então novas dúvidas, desta vez sobre o sentido existencial humano.

O tempo passou, os séculos avançaram, surgiram então filósofos como Kant, Karl Marx (com uma teoria voltada ao materialismo), Hegel, etc., e as revoluções filosóficas cada vez mais influenciaram mais ativamente nas transformações sociais.

Agora, diante de um razoável embasamento teórico acerca do surgimento da Filosofia, pode-se ir direto ao assunto a que se refere o tema: “A Filosofia em nosso meio”.

Já que a Filosofia é uma ciência que instiga-nos a pensar por nós mesmos, ela nos coloca frente a frente com nós mesmos, gerando então perguntas inevitáveis como: Qual é o sentido da nossa existência? Essa é sem dúvida uma das perguntas que permitem mais definições, mas, o fato é que a nossa existência, cada dia de nossa permanência neste mundo, não deveria ser vista como um acontecimento banal. Muitas vezes as pessoas se mostram cansadas de sua rotina, porque não conseguem enxergar a vida com admiração, nem se permitem a novas dúvidas, como se cada dia não trouxesse nada de novo para se questionar e descobrir.

No dia em que nossas dúvidas terminarem e todas as perguntas tiverem respostas, aí sim as nossas vidas perderão o sentido, portanto é necessário perguntar, criar novas possibilidades, procurar outras saídas para os problemas mais rotineiros.
Sem dúvida nenhuma, pode-se dizer que a partir da dúvida foi que surgiu a Filosofia, então pensando dessa forma, cada um pode ser um “Filósofo do dia-a-dia”.

É dessa capacidade que o Homem possui de duvidar, de investigar, é que surgem as soluções, e surgem novos questionamentos.
Seguindo tal raciocínio, a ciência filosófica pode perfeitamente auxiliar pessoas que sofrem de males como a depressão, já que aquela permite a criação de novas possibilidades, novos caminhos, quando muitas vezes a morte parece ser a alternativa a qual mais se acaba recorrendo nesses casos.

Desta forma, resta apenas aplicarmos esses conhecimentos em nossa vida e em nosso meio, como forma eficaz de nos apegarmos e valorizarmos com mais intensidade a nossa muitas vezes breve existência, para que cada dia nos pareça ser de fato novo e maravilhosamente desconhecido.

Anna Rosina Araújo Lavor
Formada em Letras - Português/Inglês
UECE-FECLI

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar