Jornal A Praça - O Jornal de Iguatu

Você está aqui: Notícias Cartas Quanto custa o trabalho altruísta, voluntário e sem remuneração

Quanto custa o trabalho altruísta, voluntário e sem remuneração

E-mail
Numa sociedade consumista e capitalista como a nossa é difícil aquilatar o valor simbólico do trabalho desinteressado e voluntário.

Até que ponto o ser humano é capaz de desenvolver atividades culturais, econômicas, financeiras, empresariais, comerciais, educacionais, industriais, humanitárias sem a devida contraprestação pecuniária inerente ao sistema corrente de produção e “mercado”.

O “mercado” dita as normas da moda, do automóvel, da faculdade, da roupa, do falar, do andar, do vestir, enfim do interagir das pessoas com a sociedade da qual é egressa e seus reflexos no cotidiano de todos nós.

Em tempos de campanha da fraternidade que promove a inclusão social dos “deficientes” nada mais propicio do que falarmos na deficiência do “mercado” que não consegue diminuir as desigualdades sociais gritantes na Pátria Amada Brasil.

Investimentos em Educação fundamental e Universitária seriam caminhos viáveis para uma transformação radical e efetiva de tantas mazelas impregnadas no dia a dia do Povo Brasileiro ou nosso País será um eterno País em Desenvolvimento e sempre do Futuro, nunca do Hoje, do Agora, Pra Valer.

Convivo de forma profissional com meus conterrâneos de Iguatu-Ceará, há mais de vinte anos no exercício regular da Profissão de Advogado e sempre tenho estendido minha palavra e minha pena na defesa dos interesses de nossos irmãos mais pobre e necessitados, diga-se de passagem, sem assolar os cofres públicos da Nação nem tampouco dos necessitados.

Muitas vezes minha empreitada no trabalho voluntariado é ignorada daqueles que circundam o meu ciclo profissional e se admiram de minha incursão em seara tão complicada na defesa intransigente e assistência jurídica dos menos afortunados no afã da recompensa “divina” e do muito obrigado do Nobre Cliente.

Graças ao nosso Bom Deus, Todo Poderoso, posso hoje passados mais de vinte anos de vida profissional na Advocacia indagar dos caros leitores e assinantes do Jornal A Praça – qual o valor monetário de uma Defesa na Tribuna do Júri com resultado Positivo de absolvição sem custos financeiros para o Estado do Ceará, responsável pela Defensoria Pública, e, serviço gratuito para alguns Iguatuenses Pobres na forma da Lei.

Meu amigo, minha amiga, você que de alguma forma presta um serviço desinteressado, altruísta, voluntário numa sociedade de consumo e capitalista como a nossa como pode avaliar em termos financeiros e econômicos o trabalho sem remuneração e desinteressado “no bom sentido”.

Acredito na prática de um dos mandamentos da Lei de Deus - Amar o próximo como a si próprio - o Amor consoante os Neurologistas, Psicanalistas e Médicos Especializados no estudo da mente humana é a maior força que rege os destinos da humanidade.

Jesus Cristo, a maior aparição Divina dentre os homens nesses últimos 2000 anos era um Especialista no Trabalho Voluntário e um Exímio Existencialista, por isso meu irmão, vez por outra abrace a causa do mais humilde e necessitado, abra os braços aos filhos de Deus e a recompensa Moral e Fraterna dos ensinamentos do Mestre Jesus, o Cristo, se instalará no seu Coração Humano.

O Brasil precisa de Homens e Mulheres dispostos a lutar pela defesa da coisa pública mais Moralizada, Transparente, Participativa, Honesta e com dividendos em prol de todo o organismo social atual, não no futuro próximo, todavia, hoje, agora, de inopino, de imediato, em liminar sem recurso a segunda instância.

As eleições se aproximam e muitos gatos vão passar por lebre, pára-quedista de toda sorte irão rondar os eleitores e munícipes de Iguatu-Ceará a cata do precioso e decisivo voto de nossos irmãos Iguatuenses.

Agora o Nobre Leitor da matéria em discussão se volta para o cronista e indaga o que tem haver Política com Trabalho Voluntário, numa perspectiva mais objetiva de toda essa controvérsia cultural.

Meus irmãos e minhas irmãs, sou obrigado a dizer a todos vocês, o pior analfabeto não é aquele iletrado que mal consegue desenhar seu nome, o Analfabeto mais complicado é o Analfabeto Político que insiste em desconhecer e se inteirar dos problemas sociais de sua Comunidade a fim de se esquivar de todo e qualquer procedimento que envolva seus semelhantes e conterrâneos, filhos de Deus com problemas, dificuldades e acertos como cada um de nós. Tenho Dito.

Comentários  

 
#1 elizeu fernando 25-03-2011 12:04
muito bom mesmo
Citar
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar