Jornal A Praça - O Jornal de Iguatu

Você está aqui: Notícias Política Justiça Eleitoral pune Rádio Jornal

Justiça Eleitoral pune Rádio Jornal

E-mail
Nesta quinta-feira, 21/08, a Justiça Eleitoral determinou o fechamento da emissora Rádio Jornal de Iguatu. As transmissões foram interrompidas por quatro dias. O juiz Carlos Ademá aceitou as duas representações apresentadas, uma pelo Ministério Público e outra do candidato Agenor Neto. “A Rádio Jornal desrespeitou o nosso acordo que foi feito no início do período eleitoral, que era de elevar o nível da programação para evitar desagravos a candidatos, partidos e coligações e através de um locutor, este acordo foi descumprido, pois o mesmo tratou de jogar farpas aos dois candidatos, um a prefeito e outro a vice-prefeito”, disse.

Para cada representação aceita contra a emissora foram apresentadas duas punições de 48 horas somando-se quatro dias. “Este tipo de atuação da justiça é através de uma provocação. Precisamos receber representações como estas que provocaram a suspensão da Rádio Jornal”, afirmou o juiz Carlos Ademá.
O juiz da 13ª Zona Eleitoral também se pronunciou sobre denúncias contra jornais locais. “Recebemos algumas reclamações de candidatos que falaram sobre posturas de jornais que estão maltratando candidatos e fazendo propaganda irregular, mas como não são concessões públicas. Então não terão a mesma decisão judicial como teve a Rádio Jornal” afirmou.

Versão da emissora

Nossa reportagem entrou em contato com a direção da Rádio Jornal Centro-Sul para falar sobre o assunto. Leônia Teixeira, que responde interinamente pelo corpo administrativo da rádio, confirmou que a emissora realmente sofreu intervenção da Justiça Eleitoral, por descumprimento da Lei Eleitoral. Leônia informou que a decisão do juiz foi de suspensão da programação por 48 horas. Segundo ela, o motivo da suspensão foi a veiculação de uma matéria publicada em jornal local que cita nomes de pessoas que estão disputando cargos majoritários na campanha eleitoral. Uma denúncia feita no Fórum local levou o juiz Ademá de Barros a tomar a decisão.

Ela disse ainda que a emissora acatou a decisão judicial e manteve o transmissor no ar informando através de uma vinheta de 15 em 15 minutos que a emissora está fora do ar por determinação da Justiça Eleitoral. Ela informou também que o prazo da suspensão termina ao meio-dia de hoje e a emissora voltará com sua programação normal.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar